Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

life Inc.

Beauty & Lifestyle

Coisas que só a mim

A semana passada passou-se comigo uma daquelas cenas de filme, em que duas mulheres se degladiam por uma peça de roupa!

 

Estava eu sossegadinha na Mango (outlet) a ver as peças em saldo quando avisto uma espécie de colete em lã cinzenta. Pensei cá para mim que seria uma ótima peça para o Inverno, parecia bem quente e era mesmo giro. Havia em cinza e em beige, eu deito a mão ao cinza e a vizinha ao beige. Apalpo, visto, aprovo e decido levar ( uma pechincha, até tenho vergonha de dizer o preço). Nisto, a senhora resolve que não quer o beige mas sim o cinza - peça única - que eu já tinha decidido levar. E começa com o relambório... "Ah mas vai levar?", "Não gosta mais do beige?", "É que eu preferia em cinza...".

 

women-fighting-over-sweater.png

 

OI?! A sério? Isto está mesmo a acontecer? E põe-se a olhar para mim com olhos de carneiro mal morto. Pus-me a andar e só parei na caixa, não fosse a senhora partir para a violência e protagonizarmos um daqueles momentos que vão parar ao youtube!

 

Isto só para mim...

 

xoxo

Marta

Coisas que não entendo #18

Pessoas que conduzem que nem umas loucas dentro da cidade.

 

bad-driver.jpg

 

Um dia desta semana tinha eu ido buscar a Pinypon à escola e vinha a caminho de casa pela Avenida da Boavista. Estava algum movimento, o normal para aquela hora do dia, mas andava-se bem e sem ser a passo de caracol. Tinha um carro ao meu lado, carros à frente e nisto começo a ouvir um barulho de aceleração a fundo. Olho pelo retrovisor e vejo um maluquinho a tentar enfiar o carro entre o meu e o do lado. Ó meu senhor, só há duas faixas, está a ver alguma terceira? Nisto vejo um carro em segunda fila e dou sinal para me desviar. Pois que o homem tenta mais uma vez enfiar-se onde não cabe e não satisfeito começa a apitar que nem um doido! Mais uma vez olho pelo retrovisor e vejo o homem completamente passado. Finalmente, lá me ultrapassa e segue vida sem deixar de baixar o vidro do passageiro e vociferar qualquer coisa que não entendi mas algo me diz que não me estaria a chamar fofinha.

 

Sou só eu que fico assustadíssima com estas situações? Só me passa pela cabeça que efetivamente há pessoas com bastantes parafusos a menos e que um qualquer percaço no trânsito pode dar origem a uma tragédia. Ainda há uns tempos vi dois condutores pegados porque tinham batido e ninguém assumia a culpa. Não estiveram com meias medidas e começaram à batatada. Um deles tinha o filho no carro e eu só pensava, que raio de exemplo!

 

Devem ter todos lido esta pérola!

 

bad-drivers-handbook.jpg

 

Civismo na estrada precisa-se!!!

 

xoxo

cindy

 

 

Coisas que não entendo #13

Ontem estava  a ler uma notícia referente à venda da Casa Manoel de Oliveira e ri-me tanto com os comentários que almas iluminadas fizeram no FB que não resisti a escrever este post.

 

Sugeria que antes de comentarem lessem com atenção a notícia e procurassem informar-se antes de mandarem os vossos bitaites. Comentários do género "ainda o homem foi agora a enterrar e já lhe vendem a casa" puseram-me a rebolar de tanto rir. É que a Casa Manoel Oliveira não era a morada do senhor, nunca tendo sido utilizada por ele (nem por ninguém a bem ver). Depois os comentários do costume acerca da arquitetura dos edifícios que me fazem crer que em cada português há um arquiteto - deve ser por isso que se continuam a fazer obras ilegais e sem projeto. O pobre Eduardo Souto Moura foi completamente cilindrado nos comentários. E finalmente, o debate se a dita casa fica na Foz ou na Boavista (?). Em caso de dúvida bastava ir ao Google mas pelos vistos há quem situe a casa em plena avenida da Boavista e efetivamente quem a conheça na sua verdadeira localização - na Foz.

 

Brincadeiras à parte, não percebo estas "obras" encomendadas a nomes sonantes da arquitetura e que depois não têm utilização. Assim de repente lembro-me do Edifício Transparente, projetado por Sòla Morales e que só cinco anos depois da sua inauguração veio a ser ocupado, não sem antes ter tido obras de reconversão do arquiteto português Carlos Prata. É de ressalvar o dinheiro que se gasta sem haver retorno. No caso da Casa Manoel Oliveira foram 2 milhões de euros, no caso do Edifício Transparente foram "apenas" 15 milhões gastos na obra inicial e na reconversão. Juntemos ao Edifício Transparente a maravilhosa derrapagem orçamental da Casa da Música e temos uma bela quantia gasta no Porto 2001. Claro que depois as pessoas acham que a Arquitetura é cara... Não é a Arquitetura que é cara, é mesmo o mau planeamento financeiro que por cá vigora.

 

xoxo

cindy

 

 

Meet the Blogger

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Wholesale clothes, Clothing Wholesalers online from China,cheap korean clothes online WOOK - www.wook.pt
SweetCare - Saúde, Beleza e Cosmética

Calendário

Janeiro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031