Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

life Inc.

Beauty & Lifestyle

Bébé a bordo #21: a sopa

Começámos no sábado a introdução dos sólidos na alimentação do Pêpê. Já está quase, quase a fazer os 6 meses e quisemos aproveitar o fim de semana para começar esta nova etapa.

 

Cumprimos assim os 6 meses de amamentação em exclusivo - vitóriaaaaaaaaaa!!! E é tempo de começar com outras paparocas. Por indicação do pediatra começámos pela sopa e para a semana vamos começar a papa. A primeira sopa foi bastante simples - batata, cebola e courgette. Feita na Cici, ficou bem cremosa e ele... não gostou nada. Ou melhor, não sabe para que serve a colher e atrapalha-se todo. Lá foi comendo e cuspindo, sujou-se todo ( e a mana a adorar o espetáculo!) e não insistimos.

 

3a09a0a05eca46fa40154254ecaf4655.jpg

 

Como só podemos ir introduzindo novos alimentos a cada 4 dias no mínimo, só hoje vamos experimentar outros sabores. Vou aproveitar que tenho abóbora caseira para ver se a sopa fica mais saborosa e ele aprecia mais. Tenho ideia que a primeira sopa da M. levava cenoura e abóbora e que ela a devorou todinha! Mas infelizmente já não tenho as "instruções" do tempo dela.

 

Sugestões desse lado? Como correu a primeira sopinha?

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #20: o sono

Lembram-se deste post? Pois que tratei de meter mãos à obra e estudar o assunto. E agora estou-me a benzer porque estou com medo de me "gabar" e depois a coisa descambar. Mas vamos lá!

 

Para falar de sono temos também de falar de alimentação, seja aleitamento ou amamentação, já que nos primeiros meses estão os dois par a par e se um não corre bem, o outro também sai prejudicado. Do mesmo modo, não podemos falar de noites boas sem sestas boas durante o dia.

 

people-who-say-they-sleep-like-a-baby-usually-dont

Começando pela amamentação... Tanto a M. como o P. nunca foram bébés de acordar de 2h em 2h para mamar. Em recém-nascidos faziam intervalos de 4/5h durante a noite e nunca tivemos problemas de sonos trocados, em que os bébés não distinguem o dia da noite. Após o primeiro mês começaram a espaçar as mamadas noturnas e a fazer intervalos cada vez maiores. Quando escrevi o post acima, estávamos em pleno 4º mês e a título de curiosidade fui consultar os arquivos do blog e pela mesma altura escrevi um post semelhante sobre a M. Acredito que estivéssemos a passar por uma fase menos boa, seja pela regressão do sono aos 4 meses de que tanto se fala, seja pelas vacinas em si.

 

O que é certo é que resolvi começar a fazer aquilo que tinha dado resultado mais tarde com a M. O que eu (nós) notávamos é que quando a qualidade de sono durante o dia era má, a noite também não corria bem, com inúmeros despertares e pedidos de maminha para sossegar. Tornava-se imperativo melhorar a qualidade das sestas durante o dia! Ora baby P. adorava mamar e adormecer no colo da mãe. Também gostava do embalo do pai e se nós nos sentássemos era um "Ai, Jesus!". Nada contra, os primeiros meses são mesmo para estes miminhos extra porque o tempo foge e o colo não vicia, mas o que é certo é que fazia sestas curtas de meia hora no máximo, o que não supria as necessidades de descanso. A solução foi começar a habituá-lo a fazer as sestas na cama dele.

 

A meio de Outubro deixámos o berço e passámos para a cama de grades, embora ainda no nosso quarto. Enquanto ele mamar de noite não faz sentido mudar de quarto e andar num vai e vem, principalmente com o tempo frio. Cama de grades instalada e pais preparados para muito berreiro. Após ler sobre o assunto e tendo plena noção que não íamos deixar o baby Pêpê a chorar desalmadamente, começámos por implementar uma rotina de sestas que atendesse aos sinais de sono que ele fosse dando. E descobrimos que idealmente ele precisa de fazer 3 a 4 sestas, 3 de menor duração e 1 maior. Portanto, andamos numa rotina de acordar, mamar, higiene, brincar, sesta e assim sucessivamente. Acabamos por dissociar a mama do sono porque introduzimos o brimcar ali no meio. E a coisa começou a correr melhor. Mama, brinca e quando começa a dar sinais de rabujice, cama com ele. No início reclamava mas um de nós ficava lá até acalmar e hoje é só deitá-lo, dizer " Pêpê é hora de nanar", ele vira-de para o lado e fica. Claro que há dias piores mas tem corrido quase sempre bem. Nós conseguimos descansar e fazer outras coisas e ele consegue ter o descanso merecido.

 

E com esta nova rotina, não só ele começou a dormir melhor de dia como as noites voltaram ao normal e o mais importante - consegue adormecer sem ajudas de embalanços e cantorias às tantas da manhã. Não nego mimo nem colo a nenhum dos dois mas acho que conseguem imaginar o desespero de às tantas da manhã andar a embalar um bébé que não dá sinais de ir adormecer nos próximos tempos. Principalmente, quando se vai trabalhar no dia seguinte, como o caso do S. Além disso, um bébé que dorme bem é um bébé bem disposto e feliz! E acreditem, se eles adormecem sozinhos é porque se sentem seguros. Não é isso que queremos para os nossos filhos? Segurança e conforto! Um bebé que adormece sozinho é capaz de acordar e voltar a adormecer sem precisar de ajudas ( colo, cantorias, mama, embalo) e se tiverem um "malandro" daqueles que acorda de 2h em 2h durante a noite para mamar, ponderem se não será porque não consegue adormecer sem essa ajuda.

 

Voltando à amamentação. Pelas 20h dou maminha pela última vez. Este timing também é importante e suscetível de ser ajustado consoante as estações do ano. Agora com a mudança de hora e como anoitece mais cedo, temos notado que provavemente já é tarde para o deitarmos - mama pouco porque já está KO - e vamos começar a antecipar esta última mamada. Maminha dada, beijinho de boa noite e cama. Às vezes choraminga e precisa de um pouco de companhia mas depois é seguido até às 4h/5h da manhã. Nova mamada e caminha com ele, fica até de manhã.

 

Agora que já leram este testamento, e tendo em conta que não sou nenhuma especialista e estou a relatar a minha experiência, o que eu queria salientar são três coisas:

 

- sem sono de qualidade durante o dia não há sono de qualidade durante a noite;

- ensinar o bebé a adormecer sozinho é complicado mas vale a pena. Não acontece da noite para o dia (ahahahah) mas vai dando frutos e vão notar bem a diferença.

- se durante o dia o bebé espaçar muito as mamadas, vai querer repor o que não mamou durante a noite, por isso, mais vale dar de mamar mais amíude durante o dia e verem se as noites começam a ser mais tranquilas.

 

Recomendo-vos ainda a leitura do livro "10 dias para ensinar o seu filho a dormir" da Filipa Sommerfeldt, que foi lido por ambos os pais e ajudou bastante a perceber algumas questões e a instaurar uma rotina diária de sonos.

 

Só me resta desejar-vos bons sonhos!

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #18: o sono (ou a falta dele!)

Eu já devia saber do que a casa gasta... Uma pessoa gaba-se de qualquer coisa e o Universo trata de nos trocar as voltas.

 

MjAxMi04OGY2ZWRlODQ2Y2EyNDcw.png

 

O pequeno cá de casa andava a dar umas noites ótimas - verdade seja dita que elas nunca foram más, más. Era deitar depois de mamar pelas 21h e só acordava pelas 4h,5h ou na loucura 6h da manhã. Mamava e ficava aterrado até de manhã. O que já dava para uma pessoa descansar umas horas seguidas e não acordar tipo zombie.

 

Chegaram os 4 meses, as vacinas e uma constipação e o caos instalou-se. Há duas semanas que não se dorme uma noite de jeito cá em casa. Sim, não dormimos os dois porque quando eu já estou em modo desespero, entra o S. em ação. Lorde Pêpê demora a adormecer, depois acorda pelas 2h, mama e acha que não é para dormir mais. Lá o embalamos e mesmo assim às vezes continua na farra. Em desespero de causa acaba por vir dormir no nosso meio, o que eu detesto porque não consigo dormir descansada e acordo toda torta. E o que resulta numa noite, não resulta na outra. Ai ontem adormeci logo? Pega lá uma festa às 6h da manhã para veres o que é bom!

 

668bc110c6fa8462fda88543f5e47eea.jpg

 

Não sei se é uma fase, se foi das vacinas, se é da constipação... Se bem que de noite não lhe tosse e quando dorme, dorme bem. O que é certo é que andamos zombies e derreados, com pouca paciência e de mau humor. E eu lido muito mal com a falta de sono... e coitado do S. que vai trabalhar!

 

Alguma dica?

 

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #17: amamentação

Poucos temas da maternidade são tão controversos como a amamentação. Toda a gente, TODA, mesmo aquelas pessoas que nem são mães, adora opinar sobre o assunto. Deve ser o tema mais falado e também aquele sobre o qual as pessoas emitem mais juízos de valor, muitas vezes sem conhecimento de causa e pura ugnorância. Mas como diz o ditado "vozes de burro não chegam ao céu" e é ouvir e andar. Nem sempre é fácil ignorar mas a maior parte das vezes dá mais trabalho tentar explicar do que respirar fundo e fazer ouvidos de mercador.

 

75de771f-d8ac-453b-ba55-c8d6b0f86c64.jpg

 

A minha experiência tem sido no geral positiva. As aulas de preparação para o parto que frequentei quando estava grávida da M. foram muito importantes para ficar a par dos benefícios e dificuldades da amamentação. E sobretudo desmistificaram coisas como "leite fraco", " o bébé está a chorar, não deves ter leite suficiente", "acorda de noite para mamar? então é porque o leite não o satisfaz" ou a melhor "sempre na mama? isso já é manha"...

 

Sim, a mama não é só alimento, é conforto, mimo e aconchego. Por isso é natural que o bébé procure mamar quando está desconfortável e não apenas quando tem fome. Daí o conceito " amamentação em demanda livre" que promove a amamentação sem horários, no fundo, sempre que o bébé demonstre sinais de querer mamar. Por exemplo, sempre que temos visitas Dom P. parece que não larga a mama, provavelmente porque se sente desconfortável, custa-lhe a dormir com tanta excitação e recorre à maminha para se acalmar.

 

Não é um caminho fácil. Da M. mesmo estando bem preparada não me livrei de uma mastite, curada com antibiótico amigo da amamentação - não acreditem quando vos dizem que para tomarem antibiótico não podem dar de mamar, há vários que não são prejudiciais para o bébé - e mesmo agora volta e meia dou por mim a meio da noite a tomar chuveiro de água quente para desfazer engurgitamentos e nódulos de leite. Custa, dói mas tudo passa e sinceramente são mais os benefícios que os inconvenientes.

 

Claro que é uma prisão para a mãe. Custa-me não poder decidir em cima da hora ir dar um passeio ou tomar um café com as amigas sem levar o baby atrelado. Ou dar uma saltada à praia com a mais velha por mais de 2h que é geralmente a frequência com que o P. mama de dia. Quando consigo combinar com antecedência ou sei que em determinado dia vou ter de sair, tiro leite com a bomba nos dias anteriores. Mas é uma seca e dispensava bem. E só pela trabalheira de lava biberão, esteriliza biberão e por aí fora, não consigo perceber quem acha mais prático dar biberão que mama. A única vantagem é mesmo poder ser o pai ou outra pessoa a dar.

 

Alguns conselhos:

 

- Dar de mamar sempre que reconhecer os sinais de fome do bébé:  abre a boca; faz movimentos com a língua; franze o sobrolho; vira a cabeça à procura da mama da mãe; leva a mão à boca e suga-a;

 

- Esvaziar a mama antes de oferecer a outra e caso mame das duas, na próxima mamada começar pela última mama oferecida. A composição do leite varia durante a mamada e o leite rico em gordura fica para o fim, pelo que é importante que o bébé consiga assimilar esse leite;

 

- Para aliviar mamas demasiado cheias colocar panos quentes ou recorrer ao chuveiro e tentar esvaziar um pouco manualmente. Após o bébé mamar pode-se colocar um pouco de frio para acalmar;

 

- Durante a noite os níveis de prolactina atingem o seu pico, pelo que é fundamental dar de mamar neste período.

 

- Nos primeiros tempos não usar a bomba porque fará aumentar a produção e poderá potenciar engurgitamentos e outros problemas.

 

- O biberão também só deve ser oferecido quando a amamentação estiver bem estabelecida, normalmente a partir do primeiro mês. Mesmo assim, há outras alternativas, como por exemplo a técnica do copinho;

 

A M. mamou até aos 15 meses, foi fazendo um desmame gradual, vamos a ver até onde chegamos com o baby mais pequenino. Gostava que me contassem as vossas experiências, positivas ou não!

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #16: a hora do banho

Vamos falar do cuidado da pele do bébé? Nos primeiros tempos, o recomendado pelos profissionais de saúde é não usar nada a não ser água e hidratar com óleo de amêndoas doces. Isto porque a pele do bébé é frágil e não convém ser agredida por agentes externos. Passado o primeiro mês já se podem ir introduzindo outros cuidados, tendo sempre atenção a enventuais alergias e reações.

 

O momento do banho é uma alegria cá por casa. Geralmente, o banho é dado ao início da noite, depois de jantarmos e antes de deitarmos a M. Ela adora participar nos cuidados do mano e não falta a uma banhoca. Preparativos feitos, é hora do banho!

 

Cá por casa começamos por usar algumas amostras do Óleo de Limpeza para rosto, corpo e couro cabeludo da linha 1er soins da Uriage que  me tinham enviado e como gostamos do resultado e o rapaz não teve nenhuma reação, tratei de encomendar em formato grande na Notino. Após o banho e para hidratar a pele temos usado o Leite Hidratante para corpo e rosto. Faço questão de fazer uma pequena massagem relaxante sempre que o baby boy deixa, às vezes já está a reclamar de fome e temos de saltar esta parte mas a massagem é uma mais valia, alivia cólicas, reforça vínculos e desenvolve os sentidos. Para a muda da fralda e para hidratar o rosto usamos os cremes da mesma linha.

 

20180724115610_IMG_1222.JPG

Não sei se os vossos bébés sofrem de crosta láctea mas os meus dois passaram por isso. Para tratar a crosta láctea, nada como o Kelual da Ducray. Usei da M. e nem pensei duas vezes antes de o encomendar desta vez. Se há produto que resolve, é este! Basta aplicar na zona a tratar e massajar suavemente. Deixar repousar 10 a 20 minutos, antes do banho. No banho, retirar com água e depois pentear para retirar as escamas. Com as aplicações vão ver que desaparece num instante. Ah e nada de retirarem com as unhas, correm o risco de infetar.

 

20180718113016_IMG_1204.JPG

 

E por aí, quais os vossos produtos preferidos?

 

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #15: chuchas

Tema novo  para mim porque a primeira filhota nunca quis chupeta! Por mais que insistíssemos e por mais modelos que experimentássemos, era vê-la a cuspi-la sem hesitação nenhuma. E olhem que nos teria dado jeito com as cólicas... Mas vejamos o lado positivo, não tivemos de passar pelo desmame da chucha. Ontem recebi um PR das novas chupetas da Phillips Avent e lembrei-me de fazer este post, precisamente porque é esta a marca das chupetas que comprei para o baby P.

 

Chupete Philips Avent ultra air Lifestyle01.jpg

Se forem ver as listas do que levar para a maternidade, vão constatar que nos hospitais amigos da amamentação a chupeta não faz parte dos items pedidos. Pois bem, eu levei uma chupeta só por precaução e logo na primeira noite foi o que me valeu. O rapaz estava inconsolável, eu completamente KO e acabou por se acalmar com a chupeta. As que comprei inicialmente foram as Avent Mini (0-2 meses) e têm sido as utilizadas cá em casa. Ele gosta e eu acho-as práticas pelo fato de trazerem uma tampinha que protege a chupeta e facilita o transporte. Sinceramente, não notei nenhuma interferência com a amamentação mas também o nosso P. não usa a chupeta com muita frequência e sobretudo não dorme com ela de noite. Usamos mais para quando está irritado ou com cólicas...

 

A Avent apresenta agora as novas chupetas Ultra Air, que para além de favorecer um desenvolvimento oral saudável, apresenta quatro orifícios amplos, desenhados para uma maior ventilação no rosto do bebé, enquanto a está a usar. Desta forma, a pele sensível do bebé mantém-se mais seca e calma, permitindo que haja um maior fluxo de ar. Fabricada com silicone de alta qualidade, a nova chupeta Ultra Air da Philips Avent não contém BPA, é extremamente confortável, higiénica e prática para o bebé. Mas o que  me chamou a atenção neste novo modelo foi trazer um estojo de transporte e esterilização no micro-ondas, sem dúvida uma mais valia.

 

Esterilizador chupeta Philips Avent ultra air.jpg

O pvp é de 10,49€

 

Quais as chuchas preferidas aí de casa? Os vossos bébés usam?

 

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #14: babywearing

Vamos falar de babywearing?

 

O babywearing é a prática de transportar o bébé junto a nós, seja num sling, mochila ou pano. Para além da vantagem de ficarmos com as mãos livres, o que dá imenso jeito, para o bébé é um aconchego que permite regular a temperatura, fazer uma transição mais suave entre a vida na barriguita da mãe e o exterior, transmite segurança e ajuda nas cólicas. Só vantagens!

 

Da M. comprei um sling de pano da Maria Café mas nunca me ajeitei muito com aquilo. O fato de apoiar só num ombro não me dava a estabilidade e confortos necessários para usar regularmente. Também tínhamos uma mochila da Pré-Natal que me metia impressão  por achar que dava pouco apoio na cabeça e que só foi mais usada depois dos 6 meses.

 

Passados estes anos, ouve-se falar muito mais noutras opções - o pano e a mochila. Após alguma pesquisa, pareceu-nos que o pano seria  a melhor opção para nós. Era uma questão de escolhermos onde comprar e de que marca. Julgo que não estou em erro ao dizer que ainda há pouca oferta em lojas físicas, vi alguns panos à venda em farmácias e pouco mais. Entretanto recebi uma newsletter da Vertbaudet e vi que existia um modelo de sling wrap, com críticas bastante positivas e tratei de encomendar. O preço era bastante em conta e parecia promissor. Mas como nestas coisas cada caso é um caso, o pano chegou e eu detestei. Primeiro não era elástico, era um tecido supergrosso que dificilmente poderia ser usado nos dias mais quentes. Depois era muito comprido e pesadão. Enfiei o rapaz lá dentro e ele só berrava. Pudera, nem se consegui mexer! Tratei de o devolver o mais rápido possível, já que não tinha ficado nada satisfeita.

 

Pesquisando online, uma das lojas que nos aparece no imediato é a Pulguinhas, que eu já conhecia de outros blogs. Pedi algumas informações sobre o sling wrap, nomeadamente se seria adequado para pessoas com problemas de coluna, como é o meu caso. Tiradas as dúvidas, foi escolher o padrão e encomendar. Chegou super rápido e vinha ainda acompanhado de uma bolsinha para os documentos do bébé.

 

34963676_1891231244253618_4510813617649614848_n.jp

 

O sling vem dentro de uma bolsinha super fofa no mesmo padrão e traz instruções tão elucidativas de como usar o pano, que logo à primeira atinei com a coisa. Tenho usado o sling praticamente todos os dias principalmente quando preciso das mãos livres e o noto mais agitado. É tiro e queda, em pouco minutos adormece e é assim que consigo vir até ao pc, tratar da roupa, arrumar a casa e assim.

IMG_1040.jpg

 

Resumindo: tem feito sucesso! Por aí, são adeptos do babywearing?

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #13: as coisas chatas da gravidez

Quem disse que a gravidez era "um estado de graça" das duas uma, ou era homem ou então teve uma gravidez santa. A verdade é que a gravidez da M. foi relativamente tranquila e sem grandes stresses. Mas esta última já envolveu outro tipo de chatices e digo-vos que se tivesse sido a minha primeira, teria pensado duas vezes antes de avançar para uma próxima.

 

1928019_1437684382.jpg

 

Primeiro, o descolamento inicial que tantas preocupações nos deu. Não tínhamos contado a ninguém, só podíamos desabafar um com o outro e foram umas semanas de aflição.

 

Seguiram-se os enjoos do demo que me faziam ter vontade de andar agarrada à sanita... Valeu-me o Nausefe. Mas e quando esgotou? Foi um suplício conseguir manter alguma comida no estômago e conseguir trabalhar.

 

693714ab6173a4521fd721266ee1b856.jpg

 

Depois pelas 30 semanas e no seguimento de uma ecografia, a notícia que o rapaz não estava a engordar o que deveria. Recomendações para descansar e comer mais, acabei por vir para casa de baixa com ordens para repouso e muita e boa comida. E felizmente o rapazola nasceu gordito e bom, como diria a minha avó.

 

Mais para o final, umas comichões pelo corpo que me levaram duas vezes às urgências, sendo que da última vez fiquei em observação durante a noite e só tive alta na tarde seguinte. Em ambas as vezes, não se confirmou a suspeita de colestase gravídica, portanto acho que deviam ser mesmo as minhas alergias em alta. Por essa altura, estava de 39 semanas e foi-me proposta a indução, porque segundo a médica de plantão "não ia andar sempre a correr para a urgência por causa das comichões". Pois bem, lá lhe disse que preferia que a coisa se desenrolasse naturalmente ( mal sabia eu!) e foi-me informado que ia ficar registado no meu processo que tinha recusado a indução. Enfim, terá sido a única vez em que não me senti tão bem acompanhada no CMIN.

 

E finalmente, algo que me acompanhou em ambas as gravidezes - o fato de não ser imune à toxoplasmose. Eu, paranóica me confesso. Portanto, deixei de comer tudo o que fosse cru. E a dificuldade em comer fora de casa? Cheguei à conclusão que tuga que é tuga, gosta de polvilhar tudo com salsa crua. De deitar rodela de limão na coca-cola. Da bela da salada no prato. E quando uma pessoa diz que quer o prato do dia sem salada e lhe aparece o prato com a salada? Posso-vos dizer que uma vez passei-me dos carretos com um empregado de mesa que ainda se achou com razão e me disse " que mal faz uma saladinha?!". Nunca mais lá pus os pés. E convenhamos que não ser-se imune à toxoplasmose implica deixar de comer muita coisinha boa... O que vale é que já tirei a barriga de misérias. E já comi a bela da alheira, quilos de morangos e cerejas, carne mal passada, sushi, mousse de chocolate... you name it!

 

E por aí, quais foram as vossas "chatices"?

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #10: os primeiros dias

Obrigada a todos pelas felicitações! Estas quase 2 semanas de baby P. têm sido intensas mas em bom!

 

O pós-parto tem corrido bem mas com algumas reações mais estranhas pelo caminho, depois conto porque acho que pode ajudar alguém. Dos 14kg ganhos, 11kg já foram à vida mas para chegar ao meu peso ideal - ao qual já devia uns 3 kg antes de engravidar - ainda faltam uns 6kg. A verdade é que devo ter uns 2kg em cada mamoca mas pronto. A barriga aos poucos vai indo ao sítio, os meus abdominais já eram fofinhos por isso é ter paciência. Aliás, no respeitante à barriga, a única coisa que me chateia é a linha nigra que ainda aqui anda. Tenho continuado a usar o Bio oil para hidratar a pele, juntamente com o Leite Corporal Hidratante da Nuxe, de que falei aqui. A estes, veio-se juntar o Creme Hidratante e Reafirmante da Isdin, adequado para o pós-parto e compatível com a amamentação.

 

Baby P. é um comilão, nasceu a saber mamar e por isso tem aumentado muito bem de peso, o que é visível nos refegos que já apresenta. Há roupa que já não serve e não sei como o tempo passa assim tão rápido. As noites - que inicialmente foram terríveis - têm corrido bem (até tenho medo de agoirar!) e dormir 3h/4h seguidas é um luxo que me tem sabido bem! Ando ansiosa por tempo melhor para passear... por aqui tem andado farrusco e ventoso. Só temos mesmo saído para consultas e pesagens. Mas a reclusão até me tem sabido bem, dá para aproveitar em família o novo bébé. Temos também tentado manter as rotinas da M. e felizmente tem corrido bem... Também ajuda muito a presença do Pai em casa, outro assunto para falar por aqui.

 

Tem sido complicado arranjar tempo para vir aqui mas dou por mim a pensar " tenho de escrever sobre isto!" e portanto me aguardem! Preparem-se para serem bombardeados!

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Bébé a bordo #9: Já nasceu!

Já venho atrasada mas quem segue o blog pelo FB e Instagram já está a par da novidade!

 

32873430_1843731079003635_7017227265964507136_n.jp

 

Baby #2 nasceu na passada madrugada de quinta-feira, já estamos em casa desde sábado e podem imaginar o estado de sítio da nossa vida neste momento. Já nem sei quantas horas de sono devo à cama mas um dia de cada vez!

 

Depois conto tudo :)

___________________________________________________________________________________________________ Se gostaram de ler este post e não querem perder pitada das novidades aqui no blog, basta subscrever o blog por e-mail e seguir-me nas redes sociais Instagram e Facebook ( tudo na na barra lateral direita). ___________________________________________________________________________________________________

Meet the Blogger

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contato de e-mail

daybiday@sapo.pt

@life_inc_blog
Follow on Bloglovin

Parcerias

Compre aqui

SweetCare - Saúde, Beleza e Cosmética

Calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930