Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

life Inc.

Beauty & Lifestyle

Bébé a bordo #13: as coisas chatas da gravidez

Quem disse que a gravidez era "um estado de graça" das duas uma, ou era homem ou então teve uma gravidez santa. A verdade é que a gravidez da M. foi relativamente tranquila e sem grandes stresses. Mas esta última já envolveu outro tipo de chatices e digo-vos que se tivesse sido a minha primeira, teria pensado duas vezes antes de avançar para uma próxima.

 

1928019_1437684382.jpg

 

Primeiro, o descolamento inicial que tantas preocupações nos deu. Não tínhamos contado a ninguém, só podíamos desabafar um com o outro e foram umas semanas de aflição.

 

Seguiram-se os enjoos do demo que me faziam ter vontade de andar agarrada à sanita... Valeu-me o Nausefe. Mas e quando esgotou? Foi um suplício conseguir manter alguma comida no estômago e conseguir trabalhar.

 

693714ab6173a4521fd721266ee1b856.jpg

 

Depois pelas 30 semanas e no seguimento de uma ecografia, a notícia que o rapaz não estava a engordar o que deveria. Recomendações para descansar e comer mais, acabei por vir para casa de baixa com ordens para repouso e muita e boa comida. E felizmente o rapazola nasceu gordito e bom, como diria a minha avó.

 

Mais para o final, umas comichões pelo corpo que me levaram duas vezes às urgências, sendo que da última vez fiquei em observação durante a noite e só tive alta na tarde seguinte. Em ambas as vezes, não se confirmou a suspeita de colestase gravídica, portanto acho que deviam ser mesmo as minhas alergias em alta. Por essa altura, estava de 39 semanas e foi-me proposta a indução, porque segundo a médica de plantão "não ia andar sempre a correr para a urgência por causa das comichões". Pois bem, lá lhe disse que preferia que a coisa se desenrolasse naturalmente ( mal sabia eu!) e foi-me informado que ia ficar registado no meu processo que tinha recusado a indução. Enfim, terá sido a única vez em que não me senti tão bem acompanhada no CMIN.

 

E finalmente, algo que me acompanhou em ambas as gravidezes - o fato de não ser imune à toxoplasmose. Eu, paranóica me confesso. Portanto, deixei de comer tudo o que fosse cru. E a dificuldade em comer fora de casa? Cheguei à conclusão que tuga que é tuga, gosta de polvilhar tudo com salsa crua. De deitar rodela de limão na coca-cola. Da bela da salada no prato. E quando uma pessoa diz que quer o prato do dia sem salada e lhe aparece o prato com a salada? Posso-vos dizer que uma vez passei-me dos carretos com um empregado de mesa que ainda se achou com razão e me disse " que mal faz uma saladinha?!". Nunca mais lá pus os pés. E convenhamos que não ser-se imune à toxoplasmose implica deixar de comer muita coisinha boa... O que vale é que já tirei a barriga de misérias. E já comi a bela da alheira, quilos de morangos e cerejas, carne mal passada, sushi, mousse de chocolate... you name it!

 

E por aí, quais foram as vossas "chatices"?

4 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow on Bloglovin
SweetCare - Saúde, Beleza e Cosmética

Calendário

Junho 2018

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930